por leonardobecker

03 out 2018

Gestão de custos de TI: gastos não mensurados fazem parte da rotina?

A gestão de custos de TI precisa estar associada aos objetivos da empresa, portanto é preciso listar todos os gastos que fazem parte do dia a dia do seu setor para identificar se realmente são necessários e continuam atualizados. Você sabe responder quanto a sua organização investe em infraestrutura, pessoal, suporte e segurança em TI?Gestão de custos de TI

Você já avaliou se o investimento em Tecnologia da Informação está trazendo retorno para a sua empresa?

Como fazer gestão de custos de TI

Se não forem mensurados, os custos invisíveis com a TI podem lentamente abrir um rombo no orçamento da sua empresa. Portanto, para fazer a gestão de custos, você precisará colocar tudo na ponta do lápis.

Há muito mais do que os custos com hardwares: a infraestrutura inteira que abrange a TI pode ser um gargalo sem fim para o seu negócio. Equipamentos, firmware, atualização dos sistemas, segurança, suporte técnico e mão de obra também fazem parte dos custos de TI.

O primeiro passo é sempre verificar as indisponibilidades e falhas mais recorrentes. Certamente, é isto que mais deve estar pesando no seu orçamento destinado à TI, caso você use estruturas on premises.

É sempre bom lembrar: a TI precisa ser vista como uma área estratégica dentro da empresa.

Para quem gere custos de TI, é importante levar em conta o que é desembolsado com treinamento pessoal. A tendência é que, cada vez mais, as equipes de TI saiam de uma função meramente técnica e sejam encarados como profissionais estratégicos, que acompanham as inovações do mercado e garantem ambientes seguros e monitorados.

Outra despesa que também precisa ser considerada é relativa aos contratos de garantia, que devem ser renovados e atualizados periodicamente. Identifique também os custos com backups, plano de contingência, quedas e desastres.

Gestão de custos de TI: on premises x cloud server

Ao fazer a gestão de custos aplicados à TI, as empresas que usam a tecnologia on premises percebem que é possível obter um retorno maior sobre o investimento migrando para a nuvem. No caso da cloud computing, os hardwares ficam fora da empresa, o que reduz significativamente os custos com infraestrutura, espaço físico, ar-condicionado, etc.

Outro benefício é que as empresas podem contratar somente os recursos que forem necessários, como memória, processamento, disco e banda, com a liberdade de aumentar a capacidade a qualquer momento.

Além de economia, a tecnologia cloud oferece várias comodidades aos gestores e profissionais de TI. Dependendo da modalidade contratada, todo o controle do servidor é feito pela empresa contratada.

Quem opta por esse serviços também ganha mais tranquilidade, uma vez que a estabilidade é garantida. Nos casos de downtime, os recursos são realocados automaticamente e o suporte é oferecido em tempo integral, durante as 24 horas do dia, todos os dias da semana.

Percebeu como a gestão de custos pode apresentar novas oportunidades para a sua empresa?

Opex: alternativa para reduzir custos

Se você acompanha as notícias relacionadas ao uso da cloud computing, deve saber que ela pode gerar economia para a sua empresa. O Opex, que é definido pelo desembolso mensal de um investimento fixo, que pode ser controlado pela empresa, é uma das formas de reduzir os custos.

Opex, que significa despesas operacionais (Operational Expenditure, em inglês), opõe-se à modalidade Capex (Capital Expenditure) que, por sua vez, significa despesas de bens de capital. Nada mais é que o desembolso para a aquisição de infraestrutura, modernização e expansão.

A grande diferença entre os dois é que, ao optar pelo Capex, a empresa precisa investir um alto valor inicial em estrutura. Tal investimento pode se provar impactante no capital de giro do negócio. É preciso levar-se em conta não apenas o custo, mas o custo previsto para uma quantidade x de anos, para o crescimento dentro deste período.

Outra questão é a depreciação óbvia dos equipamentos. Geralmente, a previsão é que estes só venham a ser usados em toda a sua capacidade com não menos que três anos de uso, em que uma grande parte de sua capacidade ficou ociosa, gerando prejuízo à empresa.

Não obstante, cinco anos é um tempo enorme em termos de tecnologias. Uma grande soma investida em aparelhagem poderia ser investida em outros tipos de serviços que se ajustariam conforme novas tendências surgissem, sem a necessidade da troca devido à obsolescência.

Você faz a gestão de custos de TI? Qual investimento é melhor para sua empresa: servidor on premisse ou cloud computing? Veja, neste post, como a Cloud Computing efetivamente reduz os custos da sua empresa!

Crédito de imagem: Vanmarciano/CC


Acompanhe nossas novidades nas redes sociais!